quinta-feira, 25 de março de 2010

STALKER (1979)


Baseado em um livro de Arkadi e Boris Strugatsky, "Stalker" é um filme estruturalmente artístico. Desde sua concepção plástica, tal como sua direção de arte, fotografia impecável e trilha sonora experimentalista, até o roteiro repleto de diálogos poéticos e discussões filosóficas. Afinal Andrei Tarkovski, diretor de "Stalker", faz o espectador pensar sobre o verdadeiro significado da fé. Não somente a religiosa, mas sim a interior. Que limites o homem consegue ultrapassar, pela sua vontade e esperança? Seria apenas uma ilusão para os fracos? Ou uma utópica idéia para ingênuos homens de vida simplória?

A película soviética de 1979, aborda a misteriosa e mística "zona". Um local desabitado e cercado de arame por todos os lados. Acredita-se que tal local, seja fruto de milagres. Contudo a "zona" não pode ser explorada por qualquer pessoa. Cabe ao "stalker", guiar os visitantes que buscam incensantemente à felicidade.

Andrei Tarkovsky foca em três personagens distintos durante o longa. Um cientista vingativo, um escritor cético e um pobre e miserável "stalker", que guia os homens rumo à seus anseios. Segundo o experiente guia, a "zona" prega armadilhas, desencadeando fatos que podem prejudica-los. A erudição dos visitantes explode na tela, com debates filosóficos sobre a sociedade em geral, e a eterna busca frustrada pela famigerada felicidade. A discórdia entre os erúditos é testemunhada pelo "stalker", que a todo custo tenta-lhes passar algumas lições sobre a "Zona", desencadeando um desfecho brilhantemente assustador.

Antes de adentrar ao misterioso mundo da "Zona", a fotografia é sépia e melancólica, levando ao espectador a tristeza e o vazio existencial de seus personagens Quando o trio de protagonistas, enfim ultrapassam a fronteira do famigerado local, a fotografia passa a ser verde e calma, como as paisagens bucólicas exploradas pelas câmeras de Tarkovsky. É como se naquele lugar, representasse um significado maior para triste vida dos homens.


Apesar de ser um clássico do brilhante cineasta soviético, "Stalker" também é conhecido por fatídicas histórias de bastidores. A exposição de radiação dos envolvidos no filme, derivada das instalações industriais onde foi filmada a película foi tão grande, que os três atores principais e o cineasta faleceram anos depois vitimados por câncer.

Vencedor do Grande Prêmio do Júri em Cannes em 1979, "Stalker" é uma complexa película dramática, que através do pessimismo retratado, tenta extrair o que o homem pode oferecer de melhor a si mesmo; o poder da fé e a esperança, embora os obstáculos sejam imprevisíveis e duros de serem vencidos.

2 comentários:

Lucas disse...

Parece ser um filme brilhante. Me interessei. :D

The Sleeper Has Awakened! disse...

Não há como assistir esse filme sem se sentir transformado ao seu término. A fotografia, as cores (ou ausências em determinados momentos), os sons, os silêncios, as falas de cada personagem tocam fundo em algumas regiões de nossas almas que não costumamos prestar muita atenção.

 

Blogroll

free counters

Minha lista de blogs