segunda-feira, 5 de junho de 2017

MULHER-MARAVILHA (2017)


Maravilha de filme! 

Por Diego Salomão

Finalmente! Depois dos controversos Homem de AçoBatman vs. Superman e Esquadrão Suicida, o Universo Estendido da DC acertou em cheio e fez, com Mulher Maravilha, o seu melhor filme. Ela que já tinha posto ordem na casa em seu encontro com Bruce Wayne e Clark Kent, aparece agora em uma aventura-solo, contando sua própria história, desde a ilha secreta das amazonas até a Europa devastada pela Primeira Guerra Mundial. 

Filha de Zeus e da rainha das amazonas, Diana fora treinada desde a infância para ser uma guerreira imbatível, enquanto ouvia as histórias sobre Ares, o Deus da Guerra. Tudo corria bem até que, acidentalmente, o avião do espião inglês Steve Trevor cai na ilha. Salvo por Diana e acreditando que a mitologia grega eram apenas lendas, ele expõe para as guerreiras os horrores pelos quais o mundo estava passando.  Decidida a fazer justiça e com a certeza de que Ares estava por trás das catástrofes dos humanos, Diana deixa a Ilha em direção à Europa, surgindo assim a Mulher Maravilha! 

Além da atuação mais do que convincente de Gal Gadot, que já tinha impressionado em Batman vs. Superman, vale destacar também o ótimo trabalho de Chris Pine como Steve Trevor. Ele que teve a honra de reviver o grande James T. Kirk no rebot de Star Trek e fez uma versão ligeiramente mais cafajeste do capitão da Enterprise,  não deveu em nada como par romântico, e ligeiramente atrapalhado, de uma amazona – que jamais havia visto um homem.

Por fim, um filme forte, divertido, cheio de ação, com efeitos de primeira, sem apelação, e com todo o lirismo que os filmes de guerra naturalmente tem. Irretocável. 

Ah, sim: virou moda obrigatória em filmes de heróis as cenas pós-créditos. Bem, nesse não precisa esperar. Não há nenhuma!

0 comentários:

 

Blogroll

free counters

Minha lista de blogs